Déficit visual pode ser sinal de tumor na hipófise

Home / Blog / Déficit visual pode ser sinal de tumor na hipófise
Déficit visual pode ser sinal de tumor na hipófise

Déficit visual pode ser sinal de tumor na hipófise

Saiba como identificar os sintomas da doença e buscar o tratamento correto

São Paulo, abril de 2019 – A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo divulgou um alerta em que 70% dos pacientes diagnosticados com tumor na hipófise apresentaram algum grau de déficit visual. A constatação ocorreu no Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, em que os enfermos com a perda de visão progressiva, sem diagnóstico oftalmológico definido, foram diagnosticados com a doença, já que o tumor comprime os nervos ópticos podendo levar à cegueira. Entre 2009 e 2014 foram atendidos 322 pacientes e, destes, 76% já chegaram com alteração da visão estabelecida, sendo que 17% constatou perda irreversível da visão de pelo menos um olho.

O neurocirurgião Dr. Mariano Ebram Fiore destaca a importância de se fazer uma avaliação criteriosa ao investigar casos de pacientes que apresentam a perda da visão por causa desconhecida. “O quanto antes esse paciente for encaminhado para um neurocirurgião e tiver novas possibilidades de tratamento, maiores as chances de evitar a perda parcial e até total da visão”, ressalta.

Um desses casos são os tumores da hipófise que, segundo Fiore, podem ser descobertos a partir de grandes alterações hormonais e representam aproximadamente 2% dos tumores intracranianos. Por isso, é importante estar atento aos sinais que podem aparecer, como perda visual, diminuição da libido e saída de leite (em mulheres que não estão amamentando). 

Outros sinais de tumores na hipófise são: depressão, cefaleia, crescimento exagerado das extremidades como mãos, pés e queixo, a pressão pode estar aumentada nos pacientes que não tem pressão alta de origem cardiovascular (por consequência de um excesso de Cortisol no sangue), e até a diminuição de todos os hormônios em conjunto, mais conhecido no meio médico como pan hipopituitarismo.

Quando o tratamento clínico, ou seja, o uso de remédios como nos prolactinomas (tumores produtores de prolactina), não apresenta resultado, a indicação pode ser a cirurgia. “Os procedimentos cirúrgicos para tumores da hipófise são realizados, atualmente, com o uso de uma câmera (endoscópio) que utiliza o corredor natural do nariz. Nesta técnica, quando comparada ao uso do microscópio, o especialista consegue um melhor resultado e, muitas vezes, sem corte”.

A hipófise, ou pituitária, é uma glândula pequena localizada na base do cérebro, responsável por conduzir as principais funções do sistema endócrino, como o controle das funções da tireoide, adrenais, mamas, crescimento, hídrico e o sistema das gônadas. Para isso, produz ou distribui diferentes hormônios: GH (hormônio do crescimento), prolactina, ACTH, TSH, LH, FSH, ADH e ocitocina. É considerada a principal glândula do corpo humano.

Leave a Reply

Your email address will not be published.